Writings‎ > ‎

Infância perdida

Um homem fica em coma por algum tempo após um acidente (vaigem de carro de volta de Franca, pelo Magazine...).
Quando acorda, descobre que seu filho de poucos anos de idade morreu, desapareceu, ou envelheceu de tal forma que o pai tenha perdido a infância do filho e também o amor, uma vez que enquanto em coma, o menino aprendeu a amar o padrasto como pai.
Após acordar, esse homem tem sonhos que retratam dias de uma vida "passada", antes do acidente. Ele descobre que está vivendo dias reais que teria vivido se não tivesse sofrido o acidente.
A depressão de viver sem o filho e a alegria de viver no sonho com o filho fazem com que ele cada vez mais prefira dormir do que ficar acordado:
- Eu estou vivendo uma segunda vida no meu sonho - ele diz a um amigo que questiona a predferência pelo dormir. E se a vida no sonho é a vida real e essa vida aqui, agora com você, é o sonho?
- Isso é impossível. Sonhos não tem sequencia. São aleatórios, sem sentido.
- Então o que é aquilo?
Será que o que ele faz no sonho pode afetar a vida acordada?
Se o filho morreu, ou desapareceu:
De repente ele percebe que o sonho está caminhando para o momento em que ele perde o filho e tem a ideia de tentar impedir que isso aconteça.
Como o fillho ou alguém poderia aparecer no sonho impedindo-o de impedir a perda do filho? Como isso de certa forma poderia salvar filho, em outra dimensão?

Pessoas mortas poderiam continuar a vida em dimensões paralelas? Universos tangentes? Elas poderiam entrar em contato com o Universo Primário?



Comments